quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Ortodoxia Graciosa

Ortodoxia Graciosa...


Creio:
que haverá católicos, ortodoxos e protestantes salvos...
que haverá trinitarianos, unitaristas (Testemunhas de Jeová) e unicistas (Voz da Verdade) salvos...
que haverá adventistas salvos...
que haverá membros da Congregação Cristã salvos...
que haverá membros da Universal salvos...
que haverá judeus messiânicos salvos...
que haverá cessacionistas e pentecostais salvos...
que haverá pelagianos, calvinistas e arminianos salvos...
que haverá crentes hedonistas (TdP) e ascéticos salvos...
que haverá crentes com gravata e crente-sktatistas sendo salvos...
que haverá evangelicais e fundamentalistas salvos... talvez até alguns liberais...

Creio que haverá salvos de todas as vertentes cristãs...

Ao falar isso alguns podem pensar: o pastor pirou!!
Ou ainda: o pastor abandonou a ortodoxia...

Nada disso! Continuo mais ortodoxo que nunca.

Continuo batalhando pela fé uma vez dada aos santos e combatendo todas as heresias e ventos de doutrina...
Defendo a sã doutrina, pois ela é o melhor caminho para se viver a vida cristã sem distrair-se com frivolidades.

Uma pessoa que abraça a Teologia da Prosperidade, por exemplo, tem muito mais chance de decepcionar-se do que alguém que abraça a sã doutrina.

Por outro lado:
- A salvação depende única e exclusivamente do relacionamento pessoal com o Senhor Jesus.
- Crer não é apenas aceitar uma série de dogmas ou doutrinas... é entregar-se a Jesus, o Jesus da Bíblia. É ter um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, ter uma vida santa e frutífera!

Jo:17:3: E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.
Romanos:10:9-10: A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
Heb:12:14: Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;


Um pelagiano pode estar equivocado em alguns pontos doutrinários e contudo ter um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, uma vida santa e frutífera!
Um cessacionista também... um unicista também... etc...

Apesar de haver testemunhas de Jeová ou católicos salvos isso não é mérito da instituição, mas é a graça de Deus alcançando corações rendidos a Ele.
(Essas duas instituições são seitas e seus líderes falsos profetas!)

Por menor ou mais equivocado que seja o entendimento teológico de uma pessoa, se ela entregou-se ao Senhor, isso basta!

Evidente que tem que ser uma entrega verdadeira.
E estou falando de diferenças cristãs que não comprometem a verdade central de que Jesus é o único caminho!

Outro ponto importante: é mais fácil encontrarmos salvos onde a sã doutrina é pregada.

Por isso continuemos combatendo as heresias: o unitarismo dos TJs, o unicismo da Voz da Verdade, a idolatria dos católicos, os erros doutrinários do adventismo, o sincrentismo da Universal, o separatismo da Congregação Cristã, a frieza dos ortodoxos e cessacionistas, o anti-intelectualismo dos fundamentalistas, a heterodoxia dos liberais...

Sem perder de vista que a salvação é pela graça.
Sola gratia.

Cleber Cabral Siedschlag
PS.: Não pactuo com o livro “Uma Ortodoxia Generosa” de Brian McLaren onde (pelo que tenho ouvido) busca-se rever conceitos ortodoxos sobre a salvação. Creio piamente na salvação exclusiva através de Jesus Cristo, mas creio que uma pessoa pode ter uma relação com Jesus mesmo em grupos teologicamente questionáveis.

20 comentários:

voltemosaoevangelho disse...

Discordo em boa parte com o herege McLaren. Mas não ficarei aqui dizendo o porquê. Só o texto já é repugnante o suficiente.

Cleber disse...

Vini,
vc discorda do McLaren, ok.
E vc discordou tbm do meu texto?

Vale dizer que são 2 abordagens completamente diferentes.

Creio na graça, mas discordo do McLaren.

Cleber.

Sapão disse...

Bem interessante o texto, não tinha observado os extremos sob a ótica da sã doutrina. O texto remeteu a princípios básicos de fé (Ef 2, 8-9) e ficou bem coerente, embora um tanto polêmico

Cleber disse...

Sapão,
obrigado pela visita!

voltemosaoevangelho disse...

Discordo do texto também. Mas isto entrará em um debate ao qual não tenho uma resposta certa:
Quais doutrinas básicas são essências para a salvação?

Cleber disse...

Vini,
vou tentar descrever o que penso e te responderei.

MAC disse...

Graça e paz Cleber.

Como o Sapão disse, esse assunto é bem polêmico e hoje enquanto lia as primeiras páginas do livro “A igreja e as últimas coisas” de Martyn Lloyd-Jones, me deparei com uma assertiva que gostaria de transcrever aqui e que vai de encontro com o post em questão.

Se referindo a João 17:7,8 Lloyd-Jones diz: “Ora, as ‘palavras’ às quais nosso Senhor Se referiu significam as palavras sobre ser Ele o unigênito Filho de Deus. São palavras acerca da encarnação, acerca da Palavra que se fez carne. São palavras nas quais Ele alega: ‘Antes que Abraão existisse, eu sou’ (João 8:58). São palavras que ensinam Sua miraculosa vinda ao mundo, Seu nascimento virginal. Referem-se aos Seus milagres, porque Ele mesmo faz referências aos Seus milagres (João 14:11), ao sobrenatural, ao propósito de Sua morte – dando Sua vida em resgate por muitos (Mateus 20:28) – e às palavras que Ele falou acerca da pessoa do Espírito Santo, e assim por diante. E no entanto exige-se que entremos em alguma grande união com pessoas que negam Sua deidade singular, as quais não crêem que Ele é o unigênito Filho de Deus, não crêem no Seu nascimento virginal e não crêem que Ele tenha algumas vez operado milagre – dizem que milagres são impossíveis e que não passam de folclore. Tais pessoas não crêem na expiação substitutiva nem na pessoa do Espírito Santo. Destacam bem essa afirmação: ‘as três Pessoas são uma só’, e ignoram todo este rico ensino doutrinal precedente. Falar de unidade com tais pessoas nada mais é que uma negação de João, capítulo 17.”

Ainda, Lloyd-Jones diz: “Noutros termos, antes que possa haver comunhão é preciso haver aceitação geral da doutrina. A comunhão tem por base a mesma fé, a mesma verdade, o mesmo discernimento. Se você pretende uma coisa ao falar de Cristo, e outra pessoa pretende outra coisa, seria possível vocês terem comunhão real? Como seria possível vocês irem a Deus através da mesma Pessoa, se uma pessoa crê que Ela é simplesmente homem, e a outra diz: ‘Não, não, essa Pessoa é a substância eterna que Se fez carne’?
É preciso que haja unidade de crença, do contrário você se sentirá pesaroso acerca da outra pessoa e cheio de dúvida quanto ao que ela pretende com seus termos. Atos 2:42 tem a doutrina dos apóstolos, em seguida a comunhão; hoje, porém, a comunhão é posta em primeiro lugar. Diz-se: ‘Cheguemos todos a um acordo. Então podemos decidir sobre questões de fé’. Nós, porém, não podemos ter comunhão à parte desta unidade de doutrina.”

Bom, assim sendo, (e concordo com o que Lloyd-Jones disse) a respeito do post em questão eu tenho que dizer o seguinte: Se um liberal pode ser salvo, então ele tem que crer que Jesus ressuscitou literalmente (dentre outras coisas) e não apenas nos corações dos seus discípulos, mas se for assim ele já não seria mais um liberal. Se um TJ pode ser salvo, então ele tem que crer que Jesus é Deus (dentre outras coisas) e não apenas um “homem com poderes”, mas se for assim ele já não seria mais um TJ, e assim por diante, caso contrário, não pode haver “comunhão real”.
Eu sou bem restritivista nesse ponto, pois creio que existe o chamado “conhecimento salvífico”, ou seja, aquilo que é essencial para fé e que nas Escrituras é também conhecido como Sã Doutrina.
Também é sabido que existem questões secundárias e que não são essenciais para a salvação, e como disse Agostinho, nisso pode haver diversidade e amor, mas sobre aquilo que precisamos saber para sermos salvos, então nisso precisa haver unidade.

em Cristo, MAC.

Cleber disse...

Mac,
sei que é polêmico, especialmente da forma que coloquei....hehehe

Desde que me converti ouço pastores admitindo que podem haver católicos salvos, por exemplo.

Mas veja: não acho que devemos andar em união com seitas ou grupos heréticos, de forma alguma. Não foi isso que falei.

Tbm não abro mão de uma vírgula da sã doutrina.

No entanto creio na grande graça divina.
Assim como vc sabe que há ortodoxos que não serão salvos, será q apenas ortodoxos serão salvos?

Creio que podem haver alguns salvos nas seitas e grupos heréticos.

Será que um crente fiel (ortodoxo em vários pontos), que tem vida com o Senhor, mas que acredita na teoria da evolução, não pode ser salvo?
Sei que isso mexe com valores muito fortes nossos.
Mas creio que é possível um cara ser salvo sem crer no criacionismo.

Vc acredita que a salvação se dá apenas por aceitar certas doutrinas, ou pela relação pessoal com Jesus?

Creio que a salvação é unicamente através de Cristo.
Talvez a questão maior aqui seja: qual o entendimento mínimo necessário para que alguém consiga ter uma relação pessoal com Jesus?

Você arrisca responder?

PS.1: Acho pouco provável haver liberais salvos pq esses normalmente conhecem a Bíblia e podem discernir as coisas, mas podem haver!
PS.2: Creio que há TJs bastante leigos na Bíblia que cultuam verdadeiramente a Deus, apesar de aprenderem coisas equivocadas de seus líderes.

MAC disse...

“Mas veja: não acho que devemos andar em união com seitas ou grupos heréticos, de forma alguma. Não foi isso que falei.”
Creio que quando Lloyd-Jones fala de comunhão, ele fala daquela comunhão espiritual em que só os que fazem parte da Igreja como corpo de Cristo tem. Só pra deixar esclarecido ;o)

“Assim como vc sabe que há ortodoxos que não serão salvos, será q apenas ortodoxos serão salvos?”
Realmente, concordo contigo, e isso é um fato.

“Será que um crente fiel (ortodoxo em vários pontos), que tem vida com o Senhor, mas que acredita na teoria da evolução, não pode ser salvo?
Sei que isso mexe com valores muito fortes nossos.
Mas creio que é possível um cara ser salvo sem crer no criacionismo.”

Bom, nesses casos foi como disse no fim do meu comentário: são coisas secundárias.
Não é o mesmo que crer que o Senhor Jesus é Deus, que Ele ressuscitou, etc.

“Vc acredita que a salvação se dá apenas por aceitar certas doutrinas, ou pela relação pessoal com Jesus?”
As duas coisas. A pessoa precisa crer em certas doutrinas, mas isso precisa ser feito de coração.
A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.
Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
(Romanos 10:9,10)

“Talvez a questão maior aqui seja: qual o entendimento mínimo necessário para que alguém consiga ter uma relação pessoal com Jesus?
Você arrisca responder?”

Bom, um dos exemplos bíblicos que acho pertinente nesse caso, é o exemplo do ladrão na cruz (Lucas 23:40-43)
Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?
E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.
E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.


Não quero ser pré-potente ao arriscar uma resposta que parece não ser tão fácil assim de ser respondida, mas penso que crer em Jesus como Senhor seja algo essencial pare ser salvo, pois quem crê nEle como tal, fica implícito outras questões como Ele ser o Salvador, ser capaz de ressuscitar, operar grandes feitos, ser quem Ele diz que era, etc. Falei isso porque o ladrão na cruz talvez não tivesse um conhecimento aprofundado sobre essas últimas coisas, ou mesmo sequer um conhecimento superficial, mas creu que Jesus era Senhor.

Cleber disse...

Mac,
concordo que há um mínimo de doutrinas que a pessoa precisa crer para ter um relacionamento pessoal com Deus.

-Crer que Deus existe e nos ouve.
-Crer que a salvação só é possível através de Jesus que morreu por nós (ou seja, ele é nosso Salvador).

Mais alguma coisa?

Isso foi suficiente pro ladrão na cruz.

Você disse que costuma ser restritivista em matéria de salvação.
Eu tbm sou.
Só estamos olhando por ângulos diferentes.

Vc parte da premissa que apenas "crentes ortodoxos" serão salvos.
Eu parto da premissa que apenas crentes com um relacionamento pessoal com Jesus serão salvos (mesmo que frequentem uma seita).

Ao dizer isso estou sendo bastante restritivo, pois creio que 50% dos evangélicos (ortodoxos) não tem um relacionamento com Deus.
Além disso, creio que uns 90% dos católicos tbm não tenham relacionamento pessoal com Jesus.
E por aí vai...

Ou seja, sou restritivista, mas creio que a salvação se dá através de Jesus e não através da ortodoxia.

Mas chamo isso de ortodoxia graciosa porque mesmo uma pessoa que não tem noção alguma do que é a ortodoxia pode ser salvo, desde que clame por Jesus.

Veja o ladrão na cruz:
não sabia que o AT e NT são totalmente inspirados...
não sabia da Trindade...
não sabia que Jesus nasceu de uma virgem...
não sabia que Jesus possuía 2 naturezas: humana e divina...
não sabia que o Espírito Santo havia sido enviado...
talvez não sabia nem do pecado original...
não sabemos se ele acreditava em Adão...
não sabia que Jesus iria voltar...
nada sabia sobre batismo e santa ceia...
não sabia que devia congregar numa igreja e evangelizar...

Mesmo sem saber tudo isso, ele foi salvo porque creu! Creu em Jesus.

Isso é desconcertante.
Mas não significa que a ortodoxia é dispensável.
Pelo contrário, quanto mais conhecer a Bíblia melhor o cristão viverá.

Uma coisa é o mínimo para ser salvo, outra coisa é aprender a Palavra para viver melhor.

Pr Cleber.

PS.: sobre os liberais no meu post eu coloquei a palavra "talvez" pois não sei se eles crêem nesse mínimo.

Fabio Thomaz disse...

O ladrão foi salvo sem conhecer várias coisas, como já foi dito.

Mas temos que considerar que ele não teve a oportunidade para isso após crer em Jesus e ter os seus pecados perdoados. Será que o caso dele teria sido igual se, após crer em Cristo, ele conhecesse e rejeitasse alguns dos seus ensinamentos?

Destaco que, para rejeitar, é preciso conhecer. Creio que a graça de Deus alcançará algumas pessoas que se encaixam nos grupos que foram citados, como os católicos ou membros da universal, mas somente aqueles que foram conduzidos a aceitar uma falsa doutrina como verdade.

Alguém pode dizer que cada um deve analisar as escrituras e descobrir a verdade, mas existem milhares, milhões de pessoas que não possuem o conhecimento necessário para isso (às vezes, não sabem nem ler). Essas pessoas acreditam naquilo que ouvem e que faz sentido para elas.

Agora, se a verdade for revelada para essas pessoas e por algum motivo for rejeitada, é outra história.

Fabio

MAC disse...

Cleber,

Vc parte da premissa que apenas "crentes ortodoxos" serão salvos.
Eu parto da premissa que apenas crentes com um relacionamento pessoal com Jesus serão salvos (mesmo que frequentem uma seita).

Não, como disse antes (conforme citei Rm 10:9,10), parto das duas coisas, ortodoxia e ralacionamento.

Ou seja, sou restritivista, mas creio que a salvação se dá através de Jesus e não através da ortodoxia.
Mas alguém pode dizer que tem um relacionamento com Jesus e não crer que ele seja Deus como os TJs o fazem. Será que é um relacionamento legítimo?
Mesmo quem crê que a salvação se dá através de Jesus, é porque a pessoa (sabendo disso ou não) crê em Jesus como Senhor e Salvador, e isso é doutrina, por mais que a pessoa esteja “inconsciente” disso.

Mas chamo isso de ortodoxia graciosa porque mesmo uma pessoa que não tem noção alguma do que é a ortodoxia pode ser salvo, desde que clame por Jesus.

Veja o ladrão na cruz:
não sabia que o AT e NT são totalmente inspirados...
[...]
não sabia que devia congregar numa igreja e evangelizar...

Mesmo sem saber tudo isso, ele foi salvo porque creu! Creu em Jesus.

Bom, ele até foi salvo por não ter o conhecimento de nada disso, mas como o Fábio disse bem, o problema está quando temos o conhecimento dessas doutrinas e as rejeitamos (sei que você concorda com isso), como os TJs fazem com a natureza divina de Cristo.
Também, nem tudo o que você citou é essencial ou primário, e reafirmo aqui, segundo o meu entendimento, que o ladrão creu no Senhorio e Salvação por meio de Cristo (isso também é doutrina) e também porque creu com seu coração, o que pra mim também é essencial, embora podemos afirmar que o tempo em que o ladrão ficou ao lado de Jesus na cruz não possa ser chamado de um “verdadeiro relacionamento”.

Fábio,

Mas temos que considerar que ele não teve a oportunidade para isso após crer em Jesus e ter os seus pecados perdoados. Será que o caso dele teria sido igual se, após crer em Cristo, ele conhecesse e rejeitasse alguns dos seus ensinamentos?

Dependendo da doutrina, creio que sim. Certos conhecimentos a respeito de Jesus que quando negados, creio que podem ser essenciais para a salvação, como a ressurreição de Cristo por exemplo.

Destaco que, para rejeitar, é preciso conhecer. Creio que a graça de Deus alcançará algumas pessoas que se encaixam nos grupos que foram citados, como os católicos ou membros da universal, mas somente aqueles que foram conduzidos a aceitar uma falsa doutrina como verdade.
Só é preciso cuidar nisso para não lhes tirar a responsabilidade individual.

Cleber disse...

Fábio,
acho q vc tocou em alguns pontos interessantes:

1) Aqueles que foram conduzidos a aceitar uma falsa doutrina como verdade (sem nunca terem conhecido a verdade).
Conheço pessoas que congregam no Salão do Reino das TJs, e tem pouco entendimento das questões teológicas. Foram levados a crer assim e não tem condições de fazer um estudo acurado da Bíblia pra entender que a Trindade é bíblica.

Pessoas assim a meu ver, se tiverem um relacionamento com Deus, serão salvas.

2) As pessoas que conheceram a verdade (dourinária) e rejeitaram.
Mesmo que as pessoas conheçam a verdade, devido à existência de muitos argumentos elaborados e de pessoas heréticas altamente eloquentes, creio que alguns por falta de profundidade podem ser levados ao engano em certas doutrinas.
Contudo, se mantiverem sua relação com Jesus, continuam salvas.

Esse é o caso de alguns conhecidos meus que congregaram na Assembléia e conheceram a verdade. Mas depois de um tempo passaram pra Universal e hoje engolem a TdP. Se eles mantiverem uma relação com Jesus serão salvos, é o que creio.
Mas se o Deus deles passar a ser Mamon (dinheiro) aí se perderam infelizmente.

3) As pessoas que conheceram a verdade (moral cristã) e rejeitaram.
Creio que o relacionamento verdadeiro com Jesus sempre resultará em vida de santidade.
Ou seja, a pessoa que crê em Deus buscará viver de acordo com seus mandamentos (Sua Moral).

Uma pessoa que conhece pouco a vontade de Deus buscará ser fiel no pouco que conhece.
Uma pessoa que conhece muito a vontade de Deus buscará ser fiel no muito que conhece.
Mas se naquilo que a pessoa conhece ela não busca santidade então não nasceu de novo.
Não existe relacionamento com Jesus sem vida de santidade.

=> Veja que meu foco é ter uma relação com Jesus.
Mas isso não diminui em nada a importância da ortodoxia (sã doutrina) pois os ortodoxos tem 2 vantagens:
a) Podem desfrutar de muitas bênçãos contidas na Palavra
b) Estão menos sujeitos a desviar-se pois estão em terreno firme.

Exemplos:
Um adepto da TdP tem grande chance de decepcionar-se e desviar-se, por isso o ortodoxo vive melhor!
Um cessacionista deixa de provar das profundezas do Espírito Santo, por isso o pentecostal vive melhor!
Um católico fica prezo a tradições e obras mortas, já o ortodoxo é totalmente livre!
E por aí vai...

Cleber disse...

Mac,
aí vai....hehehe

Não, como disse antes (conforme citei Rm 10:9,10), parto das duas coisas, ortodoxia e ralacionamento.

Eu entendi, mas a questão é: vc crê que um não-ortodoxo que crê em Jesus e tem relacionamento com Ele (Rm 10:9,10) possa ser salvo?

Precisamos definir ortodoxia: é crer nas doutrinas verdadeiras.

Mas especialmente naqueles princípios básicos da fé cristã.
As igrejas que concordam nesses pontos abaixo são tidas como ortodoxas, mesmo que discordem em pontos secundários:

1 – As Escrituras Sagradas, compostas do Antigo e Novo Testamento, são inteiramente inspiradas por Deus
2 – Há um só Deus eterno, poderoso e perfeito, distinto em sua Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo
3 – Jesus Cristo nasceu do Espírito Santo e da virgem Maria, sendo verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, e o único mediador entre Deus e o homem. Somente Ele foi perfeito em natureza, ensino e obediência
4 – O Espírito Santo é o regenerador e santificador dos remidos, o doador dos frutos e dons espirituais
5 – Em Adão a humanidade foi criada à imagem e semelhança de Deus. Devido à queda de Adão, a humanidade tornou-se radicalmente corrupta e distanciada de Deus. O essencial para o homem é a restauração de sua comunhão com Deus, a qual o homem é incapaz de operar por si mesmo
6 – A salvação eterna, dom de Deus, tem sido providenciada para o homem unicamente pela graça do SENHOR e pela morte vicária de Jesus Cristo. Fé é o meio pelo qual o crente se apropria dos benefícios da graça e nasce de novo
7 – Jesus Cristo ressuscitou fisicamente dentre os mortos, ascendeu aos céus e voltará na consumação dos séculos para julgar os homens
8 – A punição eterna, incluindo a separação e perda da comunhão com Deus, é o destino final do homem não regenerado
9 – A Igreja Cristã, o corpo e a noiva de Cristo é consagrada à adoração a ao serviço de Deus através da proclamação fiel da Palavra, a prática de boas obras

e a observância do Batismo e da Ceia do Senhor.
10 – A tarefa da Igreja é pregar a todas as nações.


Uma pessoa pode ser ortodoxa na questão da soteriologia (salvação só em Jesus), mas ser heterodoxa em outras áreas (não crer na dupla natureza de Jesus ou crer na evolução).
Mas creio que mesmo assim poderá ser salva se crer em Jesus (o que leva à santidade).

Veja vc um exemplo da história da igreja: durante muitos anos o arianismo prevaleceu entre vários bispos cristãos tementes a Deus.
Muitos bispos da antiguidade morreram arianos, pois naquela época a Igreja ainda não tinha posição oficial (ortodoxa) sobre a natureza de Jesus.
Essa doutrina já estava na Bíblia, mas alguns bispos entendiam diferente (arianos).
Vc crê que por causa disso eles deixaram de ser salvos?
Se vc disser que eles foram salvos então vc concorda que é possível não-ortodoxos serem salvos.


Sendo assim, a questão é: quais são as doutrinas "ortodoxas" mínimas necessárias?
Observe que concordo com vc que é preciso certas doutrinas + relacionamento.

Mas quando falamos em ortodoxia estamos falando da Bíblia como um todo.
Há muitas doutrinas ortodoxas!

Mas a pergunta é: quais são essenciais para a salvação?

Eu arrisco dizer que:
-Crer que Deus existe e nos ouve.
-Crer que a salvação só é possível através de Jesus que morreu por nós (ou seja, ele é nosso Salvador).

Foi depois de refletir sobre isso tudo que entendi a simplicidade desse versículo:

Jo:17:3: E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

MAC disse...

Sendo assim, a questão é: quais são as doutrinas "ortodoxas" mínimas necessárias?
Observe que concordo com vc que é preciso certas doutrinas + relacionamento.
[...]
Mas a pergunta é: quais são essenciais para a salvação?

Ao meu ver, nem todos os 10 pontos que você citou sobre ortodoxia são primários.
Veja, o que é heterodoxo, independente da denominação, seja ela cristã ou pseudo-cristã, não influencia na salvação, então é preciso definir as "mínimas necessárias" como você disse.
Creio que um não "ortodoxo" possa ser salvo desde que ele creia naquilo que você mesmo citou sobre João 17:3.

João 17:3 à luz de Romanos 10:9,10 se completam, ao meu ver, e me arrisco aqui a expressar o que é essencial em termos de conhecimento salvífico, a saber: Crer em Jesus Cristo como único e suficiente Senhor e Salvador de nossas vidas.
Ou seja, crer no Senhorio de Cristo e crer que ele é O Salvador, pra mim, são conhecimentos indispensáveis, e que também não há salvação se alguém aceita um e nega outro.
É interessante notar que a maioria do versículos do N.T, principalmente as epístolas, as duas palvras, a saber, "Senhor" e "Salvador" aparecem na mesma frase.

Você deve pensar: "mas foi isso que eu estava tentando dizer até agora"...
É que do meu ponto de vista você se esclareceu melhor nos últimos comentários, pois nos primeiros parecia que estava considerando apenas o relacionamento.

Aliás, é bom que se diga que mesmo um relacionamento com Jesus tem como base informações sobre Sua pessoa.

Sapão disse...

1 - Mac, queria comentar algo sobre seu primeiro post:



"Tais pessoas não crêem na expiação substitutiva nem na pessoa do Espírito Santo. Destacam bem essa afirmação: ‘as três Pessoas são uma só’, e ignoram todo este rico ensino doutrinal precedente. Falar de unidade com tais pessoas nada mais é que uma negação de João, capítulo 17.”


Quando o autor fala sobre as "tais pessoas" fala daqueles que não crêem e em seguida ele cita, pelo que entendi, a doutrina da Trindade. Se for isso, creio que o autor misturou a unidade da igreja com o fato de acreditar na Trindade. E, ao meu ver, isso nada impede a salvação. Falando especificamente da Igreja Voz da Verdade, que é unicista, não vejo isso como barreira para a salvação deles.

2 - Quanto às premissas básicas de salvação, também creio que seja algo mais simples (tal como crer em Jesus como Senhor e Salvador), mesmo porque o Evangelho é Simples e sou mais propenso a achar que Deus terá mais misericórdia do que se imagina para um ato de JUÍZO

3 - Sobre os nossos irmãos cristãos desavisados (ou que não tenham a mesma revelação que a nossa), penso que eles serão julgados conforme o conhecimento e coração. Sabemos o quanto certos conceitos ficam enraizados em nós e como é difícil quebrar esses paradgimas. O que diremos sobre um membro da Universal que se converteu lá e que tem como hábito exigir riqueza de Deus? Ele só aprendeu assim e mesmo que tentemos falar a verdade pra ele, enfrentaremos resistências. E por este motivo ele estará rejeitando a verdade e sendo condenado, deixando de ser salvo por uma atitude que realmente não se espera de um cristão? Não penso assim, por que nós também podemos ter as nossas barreiras e conceitos mal-formados que podem vir a prejudicar nosso relacionamento com Deus (tal como o membro da Universal) mas ainda assim mantemos um relacionamento com Deus, crescendo de glória em glória, na graça e no conhecimento. Ou cremos na obra do ES, ou nós mesmos tentaremos fazer esta obra por nossas mãos e de forma carnal. Alertar? Sim, em amor e mansidão e quando a ocasião for conveniente. Caso contrário, estaremos tão alertas a estas diferenças de credo e fugindo da são doutrina. A verdade junto com a pressão afugenta possíveis alvos

4 - Continuando o tópico anterior, apesar de crer na misericórdia de Deus, não vejo como Edir Macedo e casal Hernandes poderiam ser salvos hoje, devido ao parco (para não dizer nulo) arrependimento que demonstram. Refiro-me ao fato de eles usarem o dinheiro da igreja indevidamente segundo os preceitos civis. Quanto ao fato do exagero nos exorcismos, teologia da prosperidade, trinfalismos, uso deliberado de objetos, é necessário ver os dois lados

MAC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MAC disse...

Sapão

Sobre o ponto que você destacou: "Quando o autor fala sobre as "tais pessoas" fala daqueles que não crêem e em seguida ele cita, pelo que entendi, a doutrina da Trindade. Se for isso, creio que o autor misturou a unidade da igreja com o fato de acreditar na Trindade. E, ao meu ver, isso nada impede a salvação."
O autor aqui não estava enfatizando a salvação, mas sim o fato de que é difícil haver comunhão entre pessoas que, por exemplo, creem na Trindade e outras a negam.

Cleber disse...

Você deve pensar: "mas foi isso que eu estava tentando dizer até agora"...

Mac,
é isso mesmo!...hehehe

Pra alguém ter um relacionamento com Cristo precisa ter um mínimo de conhecimento bíblico.

Sapão disse...

Mac, também concordo que é algo difícil...quando eles se concentram somente nesse ponto. Ainda acho que a salvação é algo bem maior do que a tricotomia e o unicismo