terça-feira, 29 de julho de 2014

Dom de Línguas no Culto

DOM DE LÍNGUAS NO CULTO
1Cor:14:23: Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?
Muitos ao ler esse versículo pensam que Paulo está se referindo ao caso de várias pessoas falarem em línguas ao mesmo tempo no culto, e por isso dizem que não devemos falar em línguas no culto.
Certamente não é esse o caso pois em Atos vemos várias ocasiões onde as pessoas falavam em línguas simultaneamente num momento do culto (Atos 2, 10, 19).
O problema em Corinto era que muitas pessoas ocupavam a 'tribuna' apenas para falar em mistérios sem haver interpretação. É possível que dirigissem cultos inteiros apenas em línguas estranhas. Isso certamente foi um abuso do uso dos dons.
Por isso Paulo ensina os coríntios que um culto deve ter várias partes: 1Cor:14:26: Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.
E depois ele orienta que se for falar à igreja deve haver interpretação.
Para entender melhor esse assunto baixe esse estudo detalhado de 1 Cor 14.

Obs.: Há no meio reformado um entendimento que afirma que o dom de línguas é o menor dos dons. Mas não é isso que Paulo fala em 1 Cor 14.4-5. Ele diz apenas que no culto público o dom de profecia é mais útil na edificação do que as línguas estranhas. Isso é fato!

Veja mais aqui.

EM SUMA:
- Um culto pentecostal possui várias partes e uma delas é o louvor onde adoramos a Deus inclusive em línguas estranhas.
- Podemos falar em línguas no culto, mas não se deve dirigir o culto em línguas. Para dirigir-se à igreja em línguas é preciso haver intérprete.

Nenhum comentário: