sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Usos e Costumes

Usos e Costumes - o que a Bíblia diz!
No Brasil impressiona a quantidade de costumes inventados pelas igrejas. Por isso é bom avaliarmos o que realmente a Bíblia diz.

Leia esse artigo.

11 comentários:

voltemosaoevangelho disse...

Muito bom o artigo.
Concordo acho que lenamente.
Abraço mano.

cincosolas disse...

Cleber,

Parabéns pela abordagem.

Deus o abençoe.

Clóvis

claudio pimenta disse...

concordo com parte do texto sobre a questao de joias

caso queira um texto que analisa de forma diferente posso enviar para vossa apreciaçao e replica

claudio pimenta disse...

Quanto a bebida alcolica foi analisado muito superficialmente generalizando textos como sendo todos de uma mesma epoca e mesma cultura.
Devemos lembra que na biblia de um capitulo para outro existem diferenças gigantescas de tempos em varios casos.

eis uma meditaçao sobre o assunto do vinho.

Muitos alegam, hoje que podem beber vinho, pelo fato de Jesus também ter bebido vinho. No entanto, surge-nos uma pergunta: será que o vinho que Jesus bebia era alcoólico?
Veremos que não

O vinho da ceia do senhor
O vinho alcoólico é o vinho fermentado, pois um vinho não fermentado corresponde a um simples suco de uva.

O vinho da ceia do senhor era o vinho da festa da páscoa (Lucas 22; 15-20), pois Jesus instituiu a ceia durante a refeição da páscoa. Importa lembrar que o vinho utilizado nessa comemoração judaica, não podia ter fermento, pois o fermento era proibido nessa festa religiosa. '' POR SETE DIAS NAO SE ACHE FERMENTO ALGUM EM VOSSAS CASAS..." (êxodo 12.19) 'nENHUMA COISA LEVEDADA COMEREIS...')(Êxodo 18.20
Jesus chamou o vinho da ceia de fruto da videira, isto é um suco de uva: 'Porque desde agora em diante não mais beberei do fruto da videira, até que venha o Reino de Deus" (Lucas 22.18).
Jesus disse que o vinho da páscoa era semelhante ao que seria bebido no reino, isto è, vinho novo: " Em verdade vos digo que não beberei mais do fruto da vide , até àquele dia em que o beber, novo , no reino de deus" ( Marcos 14.25)

Na época bíblica, as mulheres pisavam as uvas no lagar, e, então, se fazia um suco de uva, que era chamado de vinho. Quando era um suco de uva recente que ainda não estava fermentado era chamado de vinho novo. Quando o suco de uva era antigo, já tendo sido fermentado, era chamado de vinho velho.
Nosos nossos dias, o vinho e outras bebidas são submetidos a processos rápidos de alcoolização através de misturas. Se Jesus, então vivesse hoje, ele beberia essas misturas alcoólicas? A Bíblia nos responde a essa pergunta.
Quando Jesus estava na Cruz, deram-lhe vinho (suco de uva) misturado com mirra ( que e utilizado na fabricação de perfumes e ungüentos). O vinho ali misturado era não fermentado, pois se o fosse fermentado não haveria necessidade de misturá-lo com mirra. Aquela mistura era justamente para Jesus, de certa forma ser drogado,

claudio pimenta disse...

, não sentisse tanto as dores da cruz. A Bíblia diz que a mistura era uma espécie de vinagre (Lucas 23:36) diferente do nosso. No entanto, a Bíblia frisa que Jesus rejeitou aquela bebida (Marcos 15:23; Mateus 27:34), pois queria sofrer consciente na cruz.
Jesus na CEIA usou suco de uva (vinho novo), pois esse era o ideal para representar seu sangue derramado na cruz. O vinho novo era aquele feito de uvas recentemente pisadas, e o sangue de Jesus saiu em resultado direto recente das “pisadas” da cruz, daí a Bíblia dizer “...e pelas suas pisaduras fomos sarados.”(Isaias 53:5).
Alem disso, o fermento, na simbologia cerimonial bíblica, é a representação do pecado (Mateus 16;11,12: Marcos 8:15 e I Corintios 5:7-8), logo o vinho que representava o sangue do cordeiro era sem fermentação, pois Jesus disse na ceia que era sangue para remissão de pecados sobre o puro sangue de Jesus
.precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo. ( I Pedro 1:19)

Judas Iscariotes que estava na ceia e tomou o vinho não fermentado, entendeu a sua mensagem, pois ao trair Jesus disse:

Pequei, traindo sangue inocente...(Mateus 27:4).

Sobre o assunto do vinho da ceia, se expressa o pastor batista Aníbal Pereira, ex-padre, portador de vários títulos universitário, membro da associação brasileira de cultura da união brasileira de escritores:
O vinho empregado era o palestiniano, mui diferente das misturas alcoolizadas de hoje. Aquela bebida judaica era ingerida em três partes de água e correspondia ao nosso simples suco de uva.(A missa, Dr Aníbal Pereira Reis, Edições Caminho de Damasco, 185, São Paulo, 1976).

A transformação da água em vinho nas bodas de cana

Vamos analisar em tópicos:

1) que tipo de vinho resultou da transformação?
Parece mais obvio que Jesus tenha transformado a água em suco de uva natural.

Vejamos a qualidade do vinho feito por Jesus:
E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. (João 2:10).

O vinho feito por Jesus era bom vinho. Naquele tempo , se colocava primeiro o bom vinho enquanto tinha muita gente na festa , depois o vinho inferior quando muitas das pessoas já tinham ido embora.

O vinho bom é o vinho não fermentado, pois este é doce, enquanto que o vinho fermentado, como bebida forte era amargo:

Com canções não beberão vinho; a bebida forte será amarga para os que a beberem. (Isaias 24:9)

Os judeus religiosos evitavam o vinho fermentado, tendo em vista a condenação feita a este tipo de vinho no Antigo Testamento. Quando havia um intervalo entre uma safra de uva e outra, esse intervalo durava um longo período, os judeus religiosos
evitavam o vinho fermentado, tendo em vista a condenação feita a este tipo de vinho no Antigo Testamento. Quando havia um intervalo entre uma safra de uva e outra, esse intervalo durava um longo período, os judeus religiosos tinham que escolher entre duas opções já que o vinho novo estava faltando: ou não tomar vinho ou procurar o vinho menos fermentado possível. Essas duas opções eram angustiantes, por isso o judeu se alegrava quando chegava a colheita, e as uvas iam para o lagar gerando o vinho novo:

Tirou-se, pois, o folguedo e a alegria do campo fértil e da terra de Moabe; porque fiz cessar o vinho nos lagares; já não pisarão uvas com júbilo; o júbilo não será júbilo. (Jeremias 48:33)

Portanto, o vinho resultante de colheita recente( vinho novo) é o vinho que alegra:

Faz crescer a erva para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para fazer sair da terra o pão,
E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem. (Salmo 104:14-15

O vinho novo era considerado uma benção:

Assim diz o Senhor: Como quando se acha mosto num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos, que não os destrua a todos,( Isaias 65:8).

O vinho fermentado era maldito:

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos.
Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro! Ai de ti, que adiciona à bebida o teu furor, e o embebedas para ver a sua nudez!
Serás farto de ignomínia em lugar de honra; bebe tu também, e sê como um incircunciso; o cálice da mão direita do Senhor voltará a ti, e ignomínia cairá sobre a tua glória. (Habacuque 2:5,15,16).

O texto acima diz que não se deve oferecer vinho que embriaga (fermentado) a ninguém. Se Jesus tivesse transformado água em vinho que embriaga, não teria desobedecido a Deus? Claro que sim, mas ele não o fez isso,antes , ele fez vinho abençoado, doce ou não fermentado, o que era, sem duvida, o melhor vinho.
Os judeus distinguiam claramente o vinho de gosto doce(não fermentado) que deveria ser tomado. Somente em períodos em que a nação se desviava de Deus é que eles tomavam os dois tipos de vinho indistitivamente, e mesmo assim eram reprovados pelos profetas:

Ai dos que se levantam pela manhã, e seguem a bebedice; e continuam até à noite, até que o vinho os esquente!
Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!
Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!
Ai dos que são poderosos para beber vinho, e homens de poder para misturar bebida forte; (Isaias 5:11,20,21,22).

Cleber disse...

Claudio,
pode me enviar o estudo sobre jóias...

Sobre a bebida alcolica não há um só texto na Bíblia que proíba beber moderamente. Condena-se a embriaguez.

Os textos que vc citou condenam a embriaguez e tbm a tentativa de embriagar um companheiro. Não estão falando sobre beber moderadamente.
Consulte outras traduções caso haja dúvida.

Sobre o vinho ser alcoólico ou não, entendo o q vc quer dizer.
Mas o fato é o vinho que os judeus consumiam embriagava.
Temos o exemplo de Noé bêbado já em Gênesis.

E temos a advertência clara:
Ef:5:18: E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda.
Se fosse proibido beber vinho não seria nem preciso advertir contra a embriaguez.

Pr Cleber

Cleber disse...

UM ADENDO:
Um texto muito usado pra condendar o jogo:
Is:55:2: Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão?

Sempre que queremos interpretar um texto é preciso ler o contexto.

O povo de Israel estava numa situação de exílio, fome e pobreza.
Por isso Deus pergunta:
Is:55:2: Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura.

Em seguida Deus mostra que se o povo O ouvir eles retornarão para Sião onde terão boa comida e uma nova vida. Inclusive fala que Deus fará uma nova aliança com eles (verso 3).

O penúltimo verso fala da saída da Babilônia:
Is:55:12: Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas.

Ou seja, aplicar esse texto para dizer que alguém não pode "jogar" é uma forçassão enorme.

No máximo poderíamos dizer pelo texto que uma pessoa pobre não deve gastar seu dinheiro com coisas supérfluas.
Por exemplo: quantos homens pobres que tiram pão da família para ir beber, fumar, etc...
Mas isso é uma aplicação do texto, e não sua interpretação primária.

reverendovaldiney disse...

Gostei muito dos artigos de cunho pentecostal, sou pentecostal, mas não vejo muita coisa inteligente no meio, particularmente creio na doutrina da Graça, gosto de profundeza na Palavra e vejo no meio pentecostal muita crendice popular a sem base bíblica, tenho me empenhado para ensinar na Igreja a Palavra de Deus e combater "crentices" infundadas.
Parabéns pelo conteúdo! Se não responde todas as questões com profundidade, ao menos instiga leitores a pesquisar e apronfundar-se na Palavra de Deus.

Cleber disse...

Rev Valdiney,
muito obrigado por sua participação!

Anônimo disse...

cleber passa o teu email pois nao localizei no blog


claudio pimenta

crsmedeiros@hotmail.com
www.exejegues.blogspot.com

Cleber disse...

Claudio,
meu email é:
cleber.sie@gmail.com