segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Herdeiros da Reforma

Herdeiros da Reforma!

Nós pentecostais clássicos valorizamos muito as bandeiras da Reforma:
- Sola Fide (somente a fé);
- Sola Scriptura (somente a Escritura);
- Solus Christus (somente Cristo);
- Sola Gratia (somente a graça);
- Soli Deo gloria (Glória somente a Deus).


Nós pentecostais fazemos coro contra as práticas 'medievais' e o comércio da fé que têm adentrado em muitas igrejas evangélicas hoje.

Não somos reformados, pois temos uma teologia (pentecostal) sólida que foi sendo construída a partir da Reforma (especialmente a reforma radical). Mas somos Herdeiros da Reforma Protestante!

Um exemplo da evolução da teologia pentecostal sobre a reformada é o abandono do cessacionismo. Ou seja, cremos que os dons espirituais são para hoje e vivemos isso.

Além disso, nós pentecostais clássicos não menosprezamos os legítimos milagres de Deus. Quando dizemos que acreditamos nos 9 dons espirituais, isso inclui a operação de milagres.
Por isso:
- Se Deus quiser usar um burro para falar quem somos nós pra dizermos que não?
- Se Deus quiser fazer um milagre financeiro quem somos nós pra dizermos que não?
- Se Deus quiser fazer uma obturação de ouro quem somos nós pra dizermos que não?
- Se Deus quiser fazer uma pessoa cair ou dançar no Espírito quem somos nós pra dizermos que não?
Rom:9:20: Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas?

Repudiamos toda falsificação e toda manipulação.
Mas valorizamos toda obra legítima de Deus!

Louvo a Deus por sermos Herdeiros da Reforma!
Louvo a Deus pelas pessoas que Ele usou para edificar sobre o legado dos reformadores!


Dentre essas pessoas destaco um homem de Deus em especial: John Wesley. Certamente foi a pessoa que mais contribuiu ao surgimento do pentecostalismo.

E poderia citar outros importantes contribuidores da Teologia Pentecostal: Jacob Armínio, Moody, Charles Finney, Maria Woodworth-Etter, Charles Parham, etc.

Soli Deo gloria.

6 comentários:

cincosolas disse...

Cleber,

Uma pequeníssima correção: é Solus Christus e não Sola Christus.

Deus o abençoe.

Em Cristo,

Clóvis

Cleber disse...

obrigado mano!
corrigido!

Cleber

(-V-) disse...

Cleber,
Eu sinceramente ainda não tenho uma posição quanto ao batismo do Espírito. Mas acho que hoje sou um "continualista cauteloso" (rsrs). Mas quero deixar algumas ponderações visando o equilíbrio:

1) E disse-me o SENHOR: Os profetas profetizam falsamente no meu nome; nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, e adivinhação, e vaidade, e o engano do seu coração é o que eles vos profetizam. Portanto assim diz o SENHOR acerca dos profetas que profetizam no meu nome, sem que eu os tenha mandado, e que dizem: Nem espada, nem fome haverá nesta terra: Å espada e à fome, serão consumidos esses profetas. (Jeremias 14: 14, 15)
e
Tenho ouvido o que dizem aqueles profetas, profetizando mentiras em meu nome, dizendo: Sonhei, sonhei. (Jeremias 23: 25)
e
Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. (1 João 4: 1)

2) Eu sou obrigado a me atentar a posição cessacionista (talvez não a concordar) porque grandes pregadores e avivalistas e evangelistas - e foram muitos - eram cessacionistas. Contudo, o Espírito agia através da vida deles de tal forma que duvido que qualquer reunião pentecostal de hoje em dia tenha visto algo parecido.

3) Temo que muitos pentecostais e neo-pentecostais estão querendo seguir o exemplo de Coríntio: todos querem falar em línguas. Mas não há maturidade, não há frutos do Espírito. Aliás, uma grande pergunta que tenho é: por que falamos mais dos dons do Espírito, do que dos frutos do Espírito? Será que em nossa presunção achamos que os frutos são nossos? E por que é que em boa parte das igrejas em que vemos “tantas e estranhas manifestações” não vemos tantos frutos?

4) A realização de sinais e prodígios e coisas sobrenaturais não valida um discurso ou teologia. Afinal:
Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. (Mateus 24: 24)

Eu não tenho respostas, mas tenho perguntas.

Em Cristo,
Vini

Cleber disse...

Mano,
sou pentecostal convicto e cauteloso.

-Convicto por vivenciar os dons espirituais.
Falo em línguas, profetizo qdo Deus manda, expulsei demônios de gente escravizada pelo diabo, já recebi curas, etc... falo isso não por vaidade, mas por alegria de ver o que Deus faz. É tudo pela graça dEle.

-Cauteoloso por saber diferenciar o verdadeiro do falso (imitaões humanas, manipulações, imitações demoníacas, etc).

1) Tenho cautela com profecias. Já vi profetadas, mas já vi e tenho visto muitas profecias legítimas.

Concordo q o dom de discernimento é muito necessário para provar os espíritos... pena que os cessacionistas deprezam esse dom, pois esse é um dos 9 dons de 1Co12.

2) Mano, não subestime o avivamento pentecostal.
Nenhum avivalista fez metade do que o avivamento (pentecostal) da Azuza fez. A Azuza alcançou o mundo todo.
Isso sem contar o que acontece nas igrejas pentecostais hj ainda... tenho visto o poder de Deus de formas tremendas.

3) Mano, esse negócio de dizer que pentecostais valorizam mais os dons que o caráter é "conversa pra boi dormir".
Claro que tem hipócritas nas igrejas pentecostais.
Mas há um enorme contingente de pessoas fervorosas e íntegras.
Lembre que a teologia pentecostal é herdeira de Wesley que valorizava muito a santidade.

Creio que nesse caso conta muito o pastor da igreja local. Pois sabemos que há pastores que não pregam sobre santidade ou pregam apenas usos e costumes. Mas tbm entre reformados há pastores q não falam de santidade. É um problema geral da igreja hoje.
Eu prego muito sobre santidade.

4) Milagres não validam uma teologia.
A teologia precisa ser bíblica.
E uma boa teologia gera bons frutos.
Eu tenho visto vidas transformadas, milagres, e o nome de Jesus sendo engrandecido.

Anônimo disse...

Quanto as considerações do -V-, entendo o seu posicionamento. Mas devemos cuidar em não usar a argumentação dos "anti-carismáticos" para fazer observações acerca do meio pentecostal que são até corretas.
Mas a nossa observação e crítica, se necessária, não deve ter como fundamento um "anticarismatismo".
Sim, como em todos os segmentos cristãos, tambêm o segmento pentecostal sofre com alguns protagonistas, que estão fora da revelação bíblica. Cabe sabermos conduzir a igreja sem cair no "anticarismatismo". Profecias, curas e linguas eram uma realidade presente na igreja primitiva, por que não seria na igreja presente?
Porém a leitura e exposição da Palavra eram o centro do culto cristão, tanto que Paulo adverte Timóteo a se dedicar a leitura pública das Escrituras e ao ensino.
O problema que hoje alguns acham que são "herdeiros da reforma", pois tem um púlpito acadêmico, mas a "reforma" é mais do que teologia acadêmica. Quem lê por exemplo os escritos de Lutero, verá que não são tratados acadêmicos, mas textos que evidenciam a paixão pela verdade de Deus. Os sermões de Lutero não eram sistemáticos (isto era mais característica do jurista Calvino), mas pareciam sermões que às vezes ouvimos em igrejas pentecostais sérias. Não seguiam as regras da homilética, mas as regras da paixão profética.
Abraço,
Matias

Cleber disse...

Matias,
bom te ler novamente.
Levantasse 1 ponto interessante: erudição e reforma são coisas distintas.
Um cara que prega calvinismo ou luteranism e não evangeliza passa longe de Calvino e Lutero.